O Mercado e a Fotografia

October 24, 2017

A pouco mais de um ano li um depoimento de um grande fotografo - Sebastião Salgado – que previa o fim da fotografia. Confesso que quando li a matéria fiquei pensando em como as pessoas iriam absorver essa informação pois quando você se torna referencia em algo suas declarações ganham um peso enorme. O tempo passou e a discussão sobre o futuro da fotografia ainda continua mas a opinião desse grande fotografo mudou “Não acho que esteja em perigo, pensei assim em algum momento, mas estava errado e retiro o que disse”, disse em entrevista à Reuters. “O que as pessoas fazem com seus telefones não é fotografia, são imagens. Fotografia é uma coisa tangível, você captura, você olha para ela. É algo semelhante à memória”

Salgado como muitos outros fotógrafos temeram o uso das câmeras em celulares, depois o temor veio pela facilidade para se comprar câmeras profissionais e o medo veio por acreditarem que isso iria diminuir o trabalho profissional na fotografia.

A indústria estima que o total de fotos que serão tiradas em 2017 seja maior que um trilhão. Ao menos 85% destas fotos serão tiradas em smartphones, que já somam mais de dois bilhões de aparelhos, e somente cerca de 10% serão tiradas com câmeras digitais.

 

Lógico que podemos analisar essa informação de maneiras diferentes mas li uma frase que se encaixa perfeitamente bem para pensarmos a respeito desses dados “ não é só por ter um carro esportivo que você se torna um piloto, não é por ter um bisturi que você é médico”

 

Realmente acredito que não é porque você tem uma câmera que você se tornou fotografo. A fotografia é uma arte que depende do controle e manuseio perfeito do seu equipamento fotográfico. Para mostrar seu trabalho e conquistar olhares admirados para suas imagens é necessário percorrer um caminho de dedicação, estudo e persistência. A fotografia se reinventa a todo instante as novas tecnologias nos obrigam a estudar cada dia mais.

 

Essa necessidade de se reinventar junto com a tecnologia e a fotografia, me fez querer aprofundar mais sobre como essa tecnologia digital pode mudar nossas carreiras e por esse motivo saí em busca de textos e amigos fotógrafos que pudessem me mostrar um pouquinho do que cada um tem vivenciado em relação a fotografia.

"Acho que o futuro da fotografia está na qualidade técnica das fotos aliado ao bom marketing pessoal do fotógrafo. Os equipamentos estão cada vez melhores e mais acessíveis, mas os fotógrafos sempre farão a diferença no resultado final, desde as escolhas de enquadramento, passando pela direção, precisão nos efeitos óticos e controle da luz, pós-produção, até a diagramação do álbum. Com o mercado cheio de "profissionais", os clientes serão cada vez mas exigentes. Mas não adianta ser o melhor fotógrafo do mundo se não souber manter uma rede de relacionamentos indicação ainda é a melhor propaganda e um boa apresentação é fundamental, desde o carisma, passando pelas redes sociais. É preciso ter boa reputação.      

 Eduardo Navarro Fotografo e professor da Espaço da Fotografia

 

 

“Estou há 24 anos no mercado fotográfico, passei pela fotografia analógica e pelo processo de mudança e adaptação para a fotografia digital. Venho notando a cada ano, principalmente na minha área de eventos corporativos e sociais, que os valores pagos pelos serviços vem caindo muito. Mas mesmo assim acredito que para se manter hoje no mercado fotográfico, não é apenas o valor cobrado pelo serviço que o cliente levará em consideração, mais o que será agregado de diferencial no serviço prestado ou na entrega final do serviço”.

Sandro Rodrigues Fotografo e professor da Espaço da Fotografia

 

 

Acredito que por conta das novas tecnologias que o universo digital trouxe, no futuro a fotografia vai ter mais especialista em tais tecnologias e em outras que estão por vim, do que especialistas em fotografia.....infelizmente como já vimos, tem muita gente que trabalha com fotografia sem ter grandes conhecimentos ou nenhum.....

A fotografia vive uma grande transformação, virou e está virando algo multimídia

No mercado de trabalho, áreas tradicionais como o fotojornalista atualmente não anda bem das pernas, acho que é o resultado do processo de transformação da fotografia, mas por outro lado áreas como família, casamento estão em grande ascensão.

 

Ricardo Bastos Fotojornalista e professor da Espaço da Fotografia

 

 

Precisamos lembrar que se for pra fotografar mais do mesmo o cliente já tem como fazer e não teria motivo para contratar um profissional, a ideia é se fazer necessário.

Acompanhar o movimento do mercado e entender a necessidade de seu cliente. A base é entender quem é o seu cliente, o que ele procura e quanto ele está disposto a pagar pelo seu trabalho.

 

Novas tecnologias vão continuar a serem descobertas depende somente de você se transformar e se recriar de modo a acompanhar as evoluções.

 

 

 

Mudanças deveriam sempre ser vistas de uma perspectiva positiva, trazem novas energias não tenha medo vá atrás de informação ela vai te dar ainda mais poder!

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

Parceria Patola e Espaço da Fotografia

June 19, 2018

1/3
Please reload

Posts Recentes

October 24, 2017

Please reload

Arquivo
Please reload

Procurar por tags