CORAGEM, TUDO QUE VOCÊ PRECISA PRA COMEÇAR NA FOTOGRAFIA

co.ra.gem substantivo feminino que designa atributo de quem tem determinação para realizar atividades que exigem firmeza; sentimento de segurança para enfrentar situações de dificuldade moral - mo.ral adjetivo feminino e masculino que diz relativo às regras de conduta e aos costumes estabelecidos e admitidos em determinada sociedade.



Hoje (06/05) é o dia da coragem, e partindo das definições dadas acima podemos começar a falar sobre as essas palavras que tanto influenciam nas nossas decisões quando se trata de viver exclusivamente de fotografia.


Ter coragem não é sinônimo de imprudência, não é significado de não ter medo e sim poder agir apesar deste sentimento, é agir com ousadia e assumindo os riscos decorrentes dessa atitude, sejam eles positivos ou negativos.


Na fotografia conhecemos muitos parceiros (sim, fotógrafo é parceiro e não concorrente) que não começaram como fotógrafos, uns começaram como jornalista, outros como advogados, contadores e no meu caso, bancário. Muitas dessas pessoas já tinham carreira consolidadas com bons salários, benefícios, estabilidade e domínio da profissão, muitas dessas pessoas já tinham família constituída ou eram responsáveis por suas casas, algumas eram assim e outras de outra forma, mas o que todas elas têm em comum?



Coragem, coragem de desafiar a moral, os costumes, quebrar barreiras e serem felizes!


Vou te contar como começou tudo para mim e como foi o meu processo para assumir de vez essa nova forma de viver.


Eu sempre tive vontade de trabalhar com vendas, vida me levou ao caminho bancário, comecei a trabalhar no banco com intuito de trabalhar com vendas e poder ajudar as pessoas, ajudá-las a arrumarem as suas vidas, investirem o seu dinheiro e poderem encontrar o que todos nós tanto procuramos, a felicidade.


Depois de um tempo descobri que as coisas não eram bem assim, eu apenas tinha que “vender” o que era bom para a instituição e não para o cliente que eu tanto queria ajudar a progredir, aliado a essa descoberta, minha gerente na ocasião me disse a seguinte frase “quando você chegar, abra sua gaveta e guarde seu coração, antes de sair você pega ele de volta”, frase pronta, simples e pra minha carreira decisiva, pois foi a partir de então que tudo começou a mudar, eu sofria para acordar, pra sair de casa, chegava atrasado, queria sair correndo do trabalho e começava a ansiar pela sexta feira já no próprio sábado! Sim eu nem curtia o final de semana pois eu já queria que fosse sexta de novo pra não ter que trabalhar e no domingo eu já sofria por que no outro dia seria segunda.


Mas eu tinha que trabalhar, pagar contas e viver (ou sobreviver, como prefiram rs) mas até então eu não tinha conhecido a fotografia.

Até que então comecei a namorar um fotógrafa e ela me ensinou a amar a fotografia, resolvi estudar e... sim me formei aqui na Espaço da Fotografia, a Espaço nessa época já tinha uns 4 anos de vida e me formou como fotógrafo, profissão essa a qual já exerço à 10 anos e exclusivamente à 7 ou seja, eu tive um tempo para me aceitar como trabalhador sem carteira assinada e benefícios, fora dos padrões que os papais e mamães tanto gostam, e tomar coragem de realmente trocar de profissão e viver somente de fotografia.



Durante esse hiato, eu não fiquei parado e me preparei, defini minha meta financeira para que eu pudesse me estabelecer até conquistar meus primeiros clientes, investi em conhecimento, aprendi tudo sobre fotografia, fiz estágios (remunerados e não remunerados nas mais diferentes áreas) e consumia tudo que era possível.


Mas sabe qual foi o principal motivo da demora? Lembra quando falei da moral? Desde pequeno a moral e os costumes nos dizem o que devemos fazer, quem devemos ser e quais contas devemos prestar para a sociedade, cargo bacana, carro legal, benefícios, trabalhar com traje social, carteira assinada... Talvez hoje, as novas gerações não pensem mais assim, talvez elas cresçam com outra mentalidade, mas à 14 anos atrás? Ou à 30 anos atrás quando meus pais se formaram como pessoa? Com certeza era tudo o que disse no paragrafo anterior, e sendo assim, quando meu pai soube que eu decidi sair do banco para me dedicar a fotografia ele ficou muito preocupado, pois primeiro o salário não pingava mais na conta, depois o plano de saúde e o VT já não existiam mais, e o VR? Isso tudo já era passado, meu pai pra coroar um dia me perguntou “quando você vai arranjar um emprego de verdade”, sabe qual foi minha resposta? “Pai, estou procurando”.


Meu pai é ruim? Lógico que não, pelo contrário, mas tem 50 anos a mais que eu, será que adiantaria explicar pra ele? Será que eu precisaria ficar entrando em um debate em que só iriamos nos desgastar e ainda por cima ouvir “conselhos” aos quais só iria tirar meu ímpeto de trocar de vida e recuar para a falsa estabilidade? É obvio que não. Minha resposta verbal foi essa, mas por dentro eu pensei “tenho que conquistar tudo e mais do que tinha antes, pra ele entender que isso é um emprego de verdade” e assim foi, hoje meu pai e toda minha família me reconhece como fotógrafo, respeita minha decisão e é feliz com o profissional ao qual me tornei.



Viver de fotografia é muito libertador, te liberta da moral, da carteira assinada, te liberta de uma agenda engessada, te liberta de viver infeliz, e no meu caso me libertou de viver resolvendo problemas para viver capturando sorrisos. Antes meus problemas eram sobre a falta de dinheiro, hoje o problema é quando a pessoa pisca! rsrs


Pra você sentir isso, pra você ter isso, a coragem se torna essencial, e lembre-se para que as coisas melhorem elas provavelmente vão piorar certo? Para emagrecer (melhora) você terá que fazer um regime (piora), para ter seu diploma (melhora) você deve se dedicar aos estudos (piora) e para começar uma nova carreira (melhora) você vai ter que começar de novo (piora) é um processo normal, que eu passei até construir minha carteira de clientes, e acredite, quando você tiver o primeiro cliente, se você realizar um trabalho de qualidade e um atendimento de excelência, acredite.... o segundo vem e assim vem o terceiro e os demais clientes continuarão a vir. Grande parte dos nossos clientes vem de indicação, e tenho certeza que com você não será diferente.


Dado tudo isso que contei com minha experiência, eu tenho certeza que muitos de vocês se identificaram em algum ponto, seja na estabilidade que te prende, nas pessoas que dependem de você, de quem você precisa provar, os medos, onde investir seu tempo e dinheiro, e principalmente se você tomou a decisão certa.


Se arrisque, você precisa disso! Se você esta pensando nisso, de duas uma: ou você está infeliz na sua profissão ou então infeliz no seu emprego, caso você não queira mudar de vida e a fotografia seja apenas um agregador de renda, muito mais fácil, basta apenas adquirir conhecimento e separar a verba pra investir.


Mas se você se identificou, eu tenho alguns conselhos pra vocês.


1. O processo é longo, se planeje e coloque uma data limite, você precisará de dinheiro para viver, isso é logico, mas se você depender dele pra sempre, você ficará preso a ele, e lembra... fotografia é liberdade! Ponha metas! Faça o dinheiro trabalhar pra você e não você trabalhar pra ele.


2. Estude, enquanto essa data limite não chega, conheça e estude o máximo que puder, eu me formei na Espaço da Fotografia aprendi tudo aqui, tudo mesmo! Eu acredito que ter alguém pra te orientar é muito importante.

Veja bem, tudo na vida tem um preço e você pode pagar de duas formas: tempo ou dinheiro, vou te explicar como isso se aplica no estudo da fotografia:

a. Pagar com tempo: ser autodidata é muito legal, mas você tem que procurar muito sobre o assunto em diversos locais da internet (que nem sempre são confiáveis), livros, apostilas, cursos gratuitos, e muitas vezes você vai fazer e ler as mesmas coisas e sempre faltará alguém pra te guiar e refinar sua técnica, e acredite, aqui na escola temos uma enorme quantidade de alunos que começaram dessa maneira e sentiram faltar de um mentor, e buscam alguém que as guiem nessa busca pela técnica perfeita;

b. Pagar com dinheiro: investir em um curso bom não é custo, é investimento (clichê né? Mas é a mais pura verdade). Lembra que você colocou uma data limite?

Obs.: eu particularmente prefiro pagar com dinheiro, pois o dinheiro nós trabalhamos e recuperamos de volta. Já o tempo? Eu tenho quase certeza que ainda não inventaram algo pra recuperar o tempo perdido.

Então se você tem uma data limite, você precisa achar um atalho.


3. Não ligue para os outros, existem pessoas importantes na sua vida e você deve entender quem são essas pessoas as quais você vai se importar, as quais quando você alcançar seus objetivos nada terá valido a pena se elas não puderem curtir com você, porque você vai se importar com a opinião de alguém, isso é fato. Comigo na época era meu pai, hoje é minha esposa e minha filha.

E o seu, quem é? Quem são? Se você já definiu, você não deve mais nada pra ninguém, e mesmo essas pessoas que são importantes, você não deve nada pra elas, mas você deve usar elas como foco, pra que você queira provar que sua decisão é a correta.


4. Coragem, essa é essencial, depois que você atingiu tudo isso, que definiu tudo isso, você deve se jogar! O mais difícil as vezes é dar esse passo, porque temos a mania, e isso é do ser humano, de criar obstáculos.

Quero emagrecer: ‘ai mas hoje está frio, amanha eu começo a malhar’

Quero emagrecer: ‘ai mas hoje está frio, eu preciso de uma comida gostosa’

Quero viajar: ‘ai mas o dólar está alto’

Enfim, poderia dar muito mais exemplos aqui, mas não podemos esquecer que são as obrigações que normalmente nos impedem de fazer as coisas importantes, a obrigação de entregar o relatório, a obrigação de fazer hora extra nos tira do caminho da coisa importante que é mudar de vida. São tarefas obrigatória que te tiram do caminho que você traçou, elas devem ser feitas, mas você deve reservar um tempo pra ir ao encontro do seu sonho.

Muitas vezes quando começamos algo novo, queremos comprar tudo do bom e do melhor, no caso da fotografia a câmera, mas e aí? Você já sabe usá-la? AS vezes vale a pena investir em um curso bacana (mas Luiz, como vou aprender se não tenho câmera, a Espaço da Fotografia por exemplo te empresta equipamento até você ter o seu, foi assim que comecei).


5. E por fim, simplesmente abrace a causa, você vai ter medo, algo ou alguém vai dizer ou parecer que não está no caminho certo, mas persevere que você vai conseguir seu objetivo, e te garanto te fará mais feliz, muito mais!



O que eu escrevi foi do coração e foi uma forma reassumida do meu processo, mas eu sofri como você, mas dei o primeiro passo, aprendi a fotografar com a melhor escola possível, que me ensinou de forma prática e objetiva, e tive a coragem pra largar meu emprego estável pra viver essa aventura linda que é a fotografia.


Antes eu olhava as pessoas correndo (fazendo exercício) no meio da tarde e tinha inveja, hoje eu sou essa pessoa!

Feliz dia da coragem, que você comemore esse dia como o dia em que você deu seu primeiro passo!