CORAGEM, TUDO QUE VOCÊ PRECISA PRA COMEÇAR NA FOTOGRAFIA

co.ra.gem substantivo feminino que designa atributo de quem tem determinação para realizar atividades que exigem firmeza; sentimento de segurança para enfrentar situações de dificuldade moral - mo.ral adjetivo feminino e masculino que diz relativo às regras de conduta e aos costumes estabelecidos e admitidos em determinada sociedade.



Hoje (06/05) é o dia da coragem, e partindo das definições dadas acima podemos começar a falar sobre as essas palavras que tanto influenciam nas nossas decisões quando se trata de viver exclusivamente de fotografia.


Ter coragem não é sinônimo de imprudência, não é significado de não ter medo e sim poder agir apesar deste sentimento, é agir com ousadia e assumindo os riscos decorrentes dessa atitude, sejam eles positivos ou negativos.


Na fotografia conhecemos muitos parceiros (sim, fotógrafo é parceiro e não concorrente) que não começaram como fotógrafos, uns começaram como jornalista, outros como advogados, contadores e no meu caso, bancário. Muitas dessas pessoas já tinham carreira consolidadas com bons salários, benefícios, estabilidade e domínio da profissão, muitas dessas pessoas já tinham família constituída ou eram responsáveis por suas casas, algumas eram assim e outras de outra forma, mas o que todas elas têm em comum?



Coragem, coragem de desafiar a moral, os costumes, quebrar barreiras e serem felizes!


Vou te contar como começou tudo para mim e como foi o meu processo para assumir de vez essa nova forma de viver.


Eu sempre tive vontade de trabalhar com vendas, vida me levou ao caminho bancário, comecei a trabalhar no banco com intuito de trabalhar com vendas e poder ajudar as pessoas, ajudá-las a arrumarem as suas vidas, investirem o seu dinheiro e poderem encontrar o que todos nós tanto procuramos, a felicidade.


Depois de um tempo descobri que as coisas não eram bem assim, eu apenas tinha que “vender” o que era bom para a instituição e não para o cliente que eu tanto queria ajudar a progredir, aliado a essa descoberta, minha gerente na ocasião me disse a seguinte frase “quando você chegar, abra sua gaveta e guarde seu coração, antes de sair você pega ele de volta”, frase pronta, simples e pra minha carreira decisiva, pois foi a partir de então que tudo começou a mudar, eu sofria para acordar, pra sair de casa, chegava atrasado, queria sair correndo do trabalho e começava a ansiar pela sexta feira já no próprio sábado! Sim eu nem curtia o final de semana pois eu já queria que fosse sexta de novo pra não ter que trabalhar e no domingo eu já sofria por que no outro dia seria segunda.


Mas eu tinha que trabalhar, pagar contas e viver (ou sobreviver, como prefiram rs) mas até então eu não tinha conhecido a fotografia.

Até que então comecei a namorar um fotógrafa e ela me ensinou a amar a fotografia, resolvi estudar e... sim me formei aqui na Espaço da Fotografia, a Espaço nessa época já tinha uns 4 anos de vida e me formou como fotógrafo, profissão essa a qual já exerço à 10 anos e exclusivamente à 7 ou seja, eu tive um tempo para me aceitar como trabalhador sem carteira assinada e benefícios, fora dos padrões que os papais e mamães tanto gostam, e tomar coragem de realmente trocar de profissão e viver somente de fotografia.



Durante esse hiato, eu não fiquei parado e me preparei, defini minha meta financeira para que eu pudesse me estabelecer até conquistar meus primeiros clientes, investi em conhecimento, aprendi tudo sobre fotografia, fiz estágios (remunerados e não remunerados nas mais diferentes áreas) e consumia tudo que era possível.